Quinta-Feira, 21 de Setembro de 2017

CONTACTOS

STEC
INFORMAÇÃO STEC
PLANO HORIZONTE: CONFUSÕES E ALERTAS. A TROIKA, O GOVERNO E O GRUPO CGD
2015-06-12
COMUNICADO 04

PLANO HORIZONTE: CONFUSÕES E ALERTAS
 

Está em vigor! Infelizmente, já com alguns procedimentos pouco abonatórios, como:
contactar o trabalhador aderente, informá-lo da data de saída... e uns dias depois desdizer tudo isso e mandá-lo aguardar por novo contacto! Uma situação incompreensível e lamentável, reveladora de grande falta de sensibilidade relativamente a um passo fundamental na vida – a passagem à reforma.


Esta situação provocou uma compreensível confusão e desagrado naqueles que a estão a viver e desencadeou uma onda de boatos e especulações que chegaram mesmo ao ponto de considerar que estaria posta em causa a continuação do programa.
Não é verdade!


É agora fundamental que a CGD assuma rapidamente a correção destas situações.

Ainda quanto ao Plano Horizonte, é óbvio que o seu desenvolvimento vai conduzir a profundas alterações em toda a estrutura orgânica da CGD, sendo, por isso, fundamental que esse processo seja conduzido com a salvaguarda de transparência nos procedimentos, diálogo com os trabalhadores, respeito pela sua situação pessoal e familiar.

 



A TROIKA, O GOVERNO E O GRUPO CGD

Primeiro veio a Troika, o plano de ajustamento, os cortes nos salários e nas pensões de reforma, os congelamentos na carreira;


Depois veio o Governo a provocar ainda mais austeridade, e no caso dos trabalhadores do Grupo CGD a esquecer-se que atuam no mercado em concorrência e que não deviam ser discriminados face aos trabalhadores da banca. Mas não! Para o Governo, a concorrência começa e acaba apenas num órgão: a Administração do Grupo CGD!


Não satisfeito ainda, vem o Governo, pela voz da Ministra das Finanças, falar das pensões de reforma e da necessidade de fazer por aí um corte de 600 milhões de Euros, de que não se sabem os contornos, mas que não pode deixar de nos colocar a todos de sobreaviso.


A Troika foi-se embora, o programa de ajustamento acabou, o que deveria conduzir (como sempre nos disseram) ao fim dos cortes, ao fim da austeridade, mas nada disso aconteceu!


Agora vem o Governo afirmar que tempo da crise já lá vai, que a economia está numa dinâmica de recuperação imparável, que o desemprego está a baixar, que os cofres do Estado estão cheios… então porquê continuar com a mesma política, com os cortes, os congelamentos, a austeridade, o empobrecimento?


Alguma coisa está mal! A história não está bem contada!
Há que desmascarar o conto do vigário, porque…
MUDAR A SITUAÇÃO ESTÁ NAS NOSSAS MÃOS!

TopoIr para lista

comunicado_04